12.9.06

Ontem eu me suicidei.
Me suicidei porque não podia mais conviver com a conjugação pronominal desse verbo.
Ninguém se suicida, eu insisto!
Suicidar é matar-se e ninguém se mata-se.
Quem suicida já mata a si mesmo, não é “matado” por outrem.
Portanto, divulguem nos jornais apenas que suicidei e poupem o pobre do pronome oblíquo.
Foi uma decisão minha, ele não teve culpa.
Deixem o pobrezinho sobreviver...
“Srta. Garatuja suicida”.
Já me basta.
A Gramática não mudaria por uma birra minha.
Mas a questão foi... ou eu ou o me, não havia espaço para nós dois.
Não dava mais, eu estava sofrendo muito.
Digam a minha família que foi sacrifício gramatical.
A Língua Portuguesa entenderá.
Ontem eu suicidei e, no meu céu, fiz questão de suicidar todos os verbos complicados do meu vocabulário.
Estou feliz minha gente.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial