28.4.06

Menina abstrata

Eu sempre gostei de ser abstrata, mas hoje quero ser concreta.
Eu sempre fui tão errada, e hoje quero ser correta.
Porque a gente é assim tão inconstante?
De fazer o perfeito ficar ruim num instante?!
Eu hoje acordei com o pé esquerdo, mas com cabeça de direita!
Tão inconstante dos pés a cabeça!
Será que só eu sou assim tão complicada?
Será que só pra mim existe tudo ou nada?
Às vezes acho que sim... Depois já penso que não.
Briga desejo com pudor. Discutem cabeça e coração.
Se eu ficar, você vai vir? E se eu for embora, quem vai perder mais?
A Lua parece insuficiente... e o Sol não me satisfaz.
Não sei se falo, não sei se calo. Se peço ou se agradeço.
Não sei se rasgo, se lembro ou se esqueço.
Nada do que sei é certo.
Nada do que é certo eu sei.
Complicado... mas normal!
A minha inconstância é a sua dúvida. Eu sou toda a sua dúvida!
Mas preciso primeiro me entender pra depois ouvir seus desaforos!
Gosto de ouvir o silêncio e de enxergar o invisível.
Gosto de tocar o nada e sentir o inexistente.
Tente.
Eu hoje quis ser concreta mas, não tem jeito...
Gosto mesmo é de ser abstrata!

2 Comentários:

Blogger Sofia disse...

"Nada do que sei é certo.
Nada do que é certo eu sei"

Ela tá toda cheia das sacadinhas e trocadilhos!

3/5/06 13:47  
Anonymous  disse...

gostei muito da cadência e do ritmo! Já tentou fazer a métrica pra ver se dar certo? ( velhas aulas do adino, eheh)
" A lua parece insuficiente.. e o sol não me satisfaz" - adorei esse verso, entre todos!
Ah, vc achou meu blog! Na verdade, não é só meu, é meu e de outros tres amigos. Eu posto como o errante. Bjo!

4/5/06 01:34  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial