14.8.08

A volta às vezes vem assim.
Só depois de 15 dias de inércia.
De um nada vazio.
Sem nada de vazio.
Se a gente pára, quem escreve por nós?
Odeio palavras impostas e arrogantes
Dessas que ficam: você precisa me usar.
Ei, estou aqui! Olhe, olhe pra mim.
Palavra metida fica de fora.
Quanto mais elas se mostram, mais eu as desprezo.
Menos
Prezo.
Meu poema de hoje é sobre as tímidas.
Um A.
Um ÃO.
Um NÃO.

A volta só volta quando elas voltarem.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial